HISTÓRIA

A luta pelo direito de organização e por melhores condições de trabalho não foi a única razão para o surgimento, em 1989, do Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Sindicais do Estado de Minas Gerais (SITESEMG). A decisão tomada em maio daquele ano, em assembleia da categoria, também refletia a efervescência política daqueles dias, momento em que o país se preparava para eleger um Presidente da República após quase três décadas.

O governo José Sarney (1985-1989) chegava ao fim de forma melancólica. A tentativa desastrada e mal sucedida de controlar a inflação impunha aos trabalhadores um arrocho salarial que despertava protestos e greves.

A busca de organizar-se em nível estadual tivera início ainda em 1981, quando trabalhadores de diversas entidades sindicais passaram a considerar a hipótese de criar uma associação para atuarem de forma organizada.

Até aquela época, nenhum empregado em entidade sindical contava com a proteção de um acordo coletivo. As jornadas se estendiam para além da permitida por lei e, salvo exceções, muito do que os dirigentes sindicais defendiam para as categorias que representavam não era respeitado nas próprias entidades que dirigiam.

Naquele ano, foi fundada a Associação dos Empregados em Entidades Sindicais (APEESEMG), instalada em uma sala do número 573 da Rua da Bahia, centro da capital. Tempo em que, embora tratados como companheiros pelos patrões, trabalhadores em sindicatos também recebiam baixos salários e não raramente eram vítimas de demissões arbitrárias e de perseguição ao seu direito de se organizar. Período em que delegados sindicais eleitos pela categoria eram sumariamente demitidos, e a lei que assegurava o repasse automático, promulgada em 1965, era descumprida na maioria das entidades sindicais.

Com tudo isso, a organização ganhou fôlego e, em 4 de maio de 1989, em assembleia, foi fundada uma entidade sindical. Em 14 de março do ano seguinte, com a obtenção da Carta Sindical, o SITESEMG adquiriu personalidade jurídica para atuar em defesa dos empregados em sindicatos.

No começo, não foi fácil negociar. Com o correr dos anos, entretanto, pouco a pouco, foram conquistadas melhores condições de trabalho, além da maior parte dos direitos previstos atualmente.

Sindicatos que a princípio não reconheciam o direito de negociar do SITESEMG passaram a fazê-lo, o que possibilitou ampliar ano a ano o número de acordos coletivos e o quadro de associados. Ao mesmo tempo, novos desafios se impuseram.

O SITESEMG está nas ruas em defesa dos interesses do povo brasileiro sempre que necessário. E, nas entidades sindicais, mantém vigilância permanente sobre as demissões arbitrárias, a terceirização e o assédio moral.

Graças ainda à participação destacada na construção de uma organização nacional dos trabalhadores em entidades sindicais, o SITESEMG conquistou credibilidade e respeito em todo o país.

É conhecido o papel que cada de um de nós desempenha na defesa das categorias para as quais dedicamos nosso trabalho diário. Da mesma maneira, é necessário que não percamos de vista a importância de manter direcionado este mesmo esforço à tarefa de dar continuidade à construção de nossa história. Sigamos adiante.

UMA HISTÓRIA DE RESISTÊNCIA EM UM MUNDO EM TRANSIÇÃO

Em 2014, para lembrar a passagem dos 25 anos do Sitesemg, uma publicação especial reuniu relatos de alguns dos personagens que participaram dos primeiros anos de organização – ainda no começo da década de 1980 – e contou essa história. A narrativa é ambientada por acontecimentos que marcaram o período no país e no mundo.